(+351) 214 309 290

Para-raios

Para-raios com a melhor tecnologia para prevenir danos causados pelas descargas atmosféricas

Os Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas têm tido uma evolução tecnológica de grande relevo, o que inclusivamente originou a revisão da norma Portuguesa NP 4426, bem como a introdução de uma nova nova norma Angolana, a NA 33/2014. A Infocontrol, acompanhando este desenvolvimento, incluiu na sua oferta novas soluções e tecnologias. 

O fenómeno da descarga atmosférica

As descargas atmosféricas são descargas elétricas de grande extensão e de grande intensidade, que podem atingir as 200kA, num curto espaço de tempo (μs). Estas descargas ocorrem devido à acumulação de cargas elétricas em regiões localizadas da atmosfera, originando uma diferença de potencial entre a base das nuvens e o solo. A descarga inicia-se quando o campo elétrico produzido por estas cargas excede a capacidade isolante do ar, também conhecida como rigidez dielétrica, num determinado local na atmosfera, que pode ser dentro da nuvem ou próximo do solo.

Quebrada a rigidez, tem início um rápido movimento de eletrões de uma região de cargas negativas para uma região de cargas positivas, denominado por raio, que produz um efeito visível (relâmpago), bem como um efeito sonoro (trovoada). Este tipo de descargas podem ocorrer dentro da própria nuvem, entre nuvens, de uma nuvem para um ponto qualquer da atmosfera ou entre uma nuvem e o solo.

Tipos de descargas nuvem-solo

A grande maioria dos fenómenos de descargas atmosféricas transferem cargas negativas de uma região carregada negativamente na base da nuvem para o solo que se encontra carregado positivamente. Contudo podem também ocorrer descargas em que se transferem cargas positivas concentradas na base da nuvem para o solo, que se encontra neste caso carregado negativamente.

Consequências de uma descarga atmosférica

A ausência de um sistema de proteção adequado pode traduzir-se num risco elevado para pessoas, animais, edifícios e equipamentos eletrónicos, produzindo danos e consequências extremamente graves ou mesmo fatais para a vida de um ser humano.

Classificação dos efeitos destrutivos de um raio

Efeitos diretos: Mecânicos, térmicos, eletroquímicos, tensões de passo.
Efeitos indiretos: Sobretensões que podem ser induzidas nas instalações pelas linhas de energia, telecomunicações, ou ainda pela rede de terras.

Enquadramento normativo e legislativo
  • NP 4426:2013 – “Proteção contra descargas atmosféricas. Sistemas com dispositivo de ionização não radioativo”
  • UNE 21186 – “Protección de estructuras, edificaciones y zonas abiertas mediante pararrayos con dispositivo de cebado”
  • NFC 17-102 –“ Protection contre la foudre Systèmes de protection contre la foudre à dispositif d’amorçage”
  • NA 33:2014 – “Norma Angolana sobre proteção contras descargas atmosféricas”
  • NP EN 62305 – “Protection against lightning”
  • NP EN 62561 – “Lightning protection system components (LPSC)”
  • NP EN 50536 – “Proteção contra descargas atmosféricas, Sistemas de deteção de trovoadas”
  • IEC 61643 – “Low-voltage surge protective devices”
  • IEC 60364 – “Low-voltage electrical installations”
  • IEEE – 80:2000 – “Guide for Safety in AC Substation Grounding”
  • Guia Técnico de Para-Raios – DGEG
  • Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios
  • Regulamento sobre a Segurança nas Instalações de Fabrico e de Armazenagem de Produtos Explosivos (Zonas ATEX)
  • Despacho Normativo nº 12/98 de 25 de Fevereiro de 1998 - Estabelece as normas reguladoras das condições de instalação e funcionamento dos lares para idosos.
  • Manual de utilização, manutenção e segurança nas Escolas - Ministério da Educação
  • Recomendações e especificações técnicas do Edifício Hospitalar V. 2011 – Administração Central do Sistema de Saúde, IP
  • Regulamentos internos das empresas

As nossas soluções

para-raios Ioniflash Mach 60

Ioniflash Mach 60

Para-raios ionizante

A sua geometria que permite melhorar significativamente o tempo de avanço à ignição. O Ioniflash Mach está testado em laboratórios europeus com um Delta T = 135 µs. 

Ioniflash Connect

Para-raios com dispositivo de teste remoto

Com dispositivo de teste eletrónico para confirmar o bom funcionamento do captor. Teste remoto efetuado a partir do smartphone.

Para-raios Ioniflash Connect
Contador de descargas Atmosféricas

I-Flash Report

Contador de descargas

O I FLASH REPORT permite-lhe monitorizar a sua instalação registando o número de raios que atingiram o sistema de proteção, bem como a  data, hora e intensidade de corrente de cada impacto. 

Artigos Técnicos

para-raios radioativo

Para-raios radioativos

Os efeitos da radioatividade estão dependentes essencialmente da natureza da radiação do radionuclido, do seu tempo de vida, da quantidade assimilada e dos órgãos onde

Ler artigo »
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on PinterestPrint this pageEmail this to someone

CONTACTE-NOS

NEWSLETTER